CASA DE PÁSSARO É ASSIM

quarta-feira, 24 de março de 2010

FORUM-(CHAT) AVES DO HÉLIO

Venho deste modo convidar a participar num chat simples no meu blog http://avesdohelio.blogspot.com/ a razão desta experiência é a de fazer amigos. Gostaria do registo do nome próprio para não haver problemas, falar um pouco de tudo seja de aves ou não. Vamos lá ver no que isto dá, obrigado por a atenção dispensada.

Se me é permitido bom inicio é uma apresentação.


Cumprimentos ornitológicos

sexta-feira, 19 de março de 2010

Um dos melhores

Tenho de reconhecer que este é um dos canários mais bem concebidos de todos os tempos dadas as suas características genéticas as quais definem um frisado fora do normal muito abundante, tamanho grande e vivacidade com o atenuante da problemática da cor. Sem duvida que qualquer criador de porte reconhece o que falo nestas minhas palavras me referindo á raça GIGANTE ITALIANO ou AGI.

segunda-feira, 8 de março de 2010

TIMBRADO ESPANHOL

Por vezes os gostos dos nossos amigos vão passando a ser nossos gostos também é assim entre mim e Pedro Boavida amante deste maravilhoso pássaro, meu amigo e colaborador nesta aventura de blog , um obrigado TALIBAN DOS TIMBRADOS
TIMBRADO ESPANHOL

Historia:
No ano 1400 , quando HENRIQUE III enviou sua histórica expedição ao Arquipélago das Canárias, foi descoberto em ditas ilhas um pássaro fringilido em estado selvagem que cativou os descobridores tanto pela sua beleza como pela sua plumagem mas sobretudo pelo seu canto, ao ficarem admirados com seus trinos, na viajem de regresso, entre os presentes, figurava um casal de canários.

Foi tal o êxito e a admiração causada que em muito pouco tempo os canários ocuparam um lugar de honra no seio da nobreza. A partir daqui houve uma vertiginosa expansão deste cantor e florescendo um comércio à sua volta. Comprovada a sua adaptação e docilidade começando sua criação em cativeiro dando origem a uma grande paixão. Sabe-se que esta paixão pertenceu a Luís XI, de França, possuidor de magníficos casais destes belos pássaros oriundos daquele arquipélago espanhol e não só mas também dos Açores e Madeira , parte esta que não é muito referida pelos espanhóis, estamos então nos finais do século XV.
A partir do seu cativeiro sofreram várias transformações orgânicas que originaram múltiplas variedades que hoje são habituais entre os espanhóis.

Qual foi a origem do Timbrado Espanhol?

Os seus trinos primitivos passaram a sons mais musicais e sustentados, percepcionando seu reportório, nalguns casos aprendendo de outras aves, mas sempre conservando inatos seus timbres , piaus e chaus.

Nesta etapa esteve sempre presente o aficionado canaricultor, que além de seleccionar a prole com melhores qualidades, empregou outros pássaros, também fácies de manter em cativeiro, tais como pintassilgos, verdilhões e especialmente rouxinóis.

Com o passar do tempo e já em datas relativamente recentes, se tem noticias de exemplares descendentes destes aficionados canaricultores, criados e educados na Catalunha, sobretudo em Olot, Cañellas, Vich y Figueras que se destacavam pela perfeição de seu canto, chegando a possuir um reportório de notas metálicas muito alegres e variadas.

Este reportório obtido e conseguido pela força de tanta dedicação e selecção, praticamente desapareceu em 1936. Afortunadamente, em meados dos anos 40, um grupo de verdadeiros aficionados madrilenos decidiu recuperar a pureza da raça. Muito trabalho houve para localizar exemplares aptos para iniciar a tarefa que com tanto entusiasmo se havia imposto.


 GAIOLAS EM POSIÇÃO DE TREINO PARA O TIMBRADO ESPANHOL
SE FOR DA SUA VONTADE PODE OUVIR OS BONITOS CANTOS
DESTES QUATRO EXEMPLARES




Três anos de lentos progressos e alguns fracassos conseguiram, por fim, restaurar o canto original, desde então, denominado Canário do Pais. Recuperada quase na totalidade a pureza da raça, e para evitar possíveis e novas degenerações, se impôs a necessidade de codificar a estrutura de canto para evitar sucessivos e possíveis desvios da raça. Depois de um estudo exaustivo de todos os giros compreendidos no reportório, por parte dos aficionados mais espertos do grupo, foi confeccionado um Código provisório baseado, no realizado pelo Dr. WOLF DE MAIKAMER, para os canários de canto ROLLER.

Posteriormente reformou-se este Código, mudaram-se o nome de algumas notas e sua pontuação, mas o mais importante e extraordinário desta reforma foi sem duvida, o acerto de substituir sua denominação pela de Timbrado Espanhol, mais concreta e definida.

APROVAÇÂO DO TIMBRADO ESPANHOL

Finalmente, como prémio à determinação, esforço e zelo daquele admirável grupo de aficionados madrilenos, Espanha obteve um assinalável triunfo quando a 3 de Fevereiro de 1962, a Assembleia Geral da Confederação Ornitológica Mundial (C.O.M.) decreta por unanimidade o reconhecimento a nível mundial desta raça tão espanholíssima, colocando-se por méritos próprios entre as mais prestigiosas de todo o mundo.


      JAULAS DE TRANSPORTE



TIPOLOGIA DO CANÁRIO TIMBRADO ESPANHOL

A parte das características especiais que definem seu canto particular que motivaram seu nome, a pureza da raça do canário Timbrado Espanhol, põe-se assim mesmo, de manifesto por seu aspecto exterior o fenotipo. Sua figura é estilizada e esbelta, de formas proporcionadas e suaves, imprimindo ao seu movimento um especial vigor, vivacidade e alegria. Seu fenotipo é definido pelas seguintes características:

TAMANHO: Oscila entre os 13 e 14 cm.

PLUMAGEM: É completa e bem apertada ao corpo.

As penas riçadas denotam impureza da raça

FORMA DAS PATAS: São delgadas, pequenas e dobradas em ângulo.

As patas em forma recta denotam impureza de raça

FORMA DA CABEÇA: É do tamanho mediano, forma proporcionada sem oferecer zonas desplumadas.

Os olhos são vivos de cor negro, cinzentos e castanhos.

A cabeça muito grande, com excessiva pena e olhos vermelhos, denotam impureza da raça.

FORMA DO PESCOÇO: Medianamente largo, em harmonia com a cabeça e o corpo.

FORMA DA CAUDA: A cauda está em linha recta com o corpo, algo aberta e em forma de cauda de peixe.

FORMA DO CORPO: É de forma afusada e em harmonia com a cabeça. Pescoço e cauda.

FORMA DAS ASAS: Estão apertadas ao corpo e levemente cruzadas na ponta.

CÔR DA PENA: Podem ser amarelos, verdes, cinzentos, brancos, isabéis e mesclados.

O factor vermelho não é permitido na plumagem do Timbrado Espanhol


RESUMO:

O canário Timbrado Espanhol possui rasgos determinantes e concretos que lhe são próprios como:

Bico curto e cónico

10 penas rémiges primárias,

12 rémiges secundárias,

Tamanho: De 13 a 14 cm.

Plumagem: É essencialmente verde ou mesclado,

Corpo: De forma arredondada, harmoniosa e suave,

Cauda: Em forma de cauda de peixe.

DEFEITOS:

Pata recta,

Pena riçada,

Olhos vermelhos,

cor branco recessivo,

cabeça com excessiva pena e

factor vermelho.


GAIOLA DE CANTO PARA TIMBRADO ESPANHOL




 
 

sexta-feira, 5 de março de 2010

GENÉTICA E RESULTADOS DE ACASALAMENTOS DE CANÁRIOS BRANCOS

PRINCIPAIS ACASALAMENTOS CANÁRIO BRANCO (GENÉTICA)

O sucesso na obtenção da qualidade e quantidade de filhotes depende em grande parte do correto acasalamento dos pássaros.

Existem acasalamentos que, embora possíveis, devem ser praticados com uma certa cautela pois podem apresentar alguns inconvenientes, dentre os quais cito:
- O acasalamento entre portador e portadora, que produz os já conhecidos PP (prováveis portadores), ou seja, filhotes que só poderão ser comprovados se são portadores ou não após testados em acasalamentos. O mesmo ocorre com acasalamento entre portador x normal, onde toda a descendência será de filhotes prováveis portadores (50% de portadores e 50% de normais, todos com a carga genética de branco somente comprovados após testados em acasalamentos).



- Branco dominante x branco dominante: apresenta o inconveniente da perda de 25% dos embriões, pelo fator sub-letal. A explicação genética para essa ocorrência é o fato de não existir branco dominante homozigoto.


1 - Brancos (recessivos)


- portador x pura
puro x portadora

50% portadores (machos e fêmeas)
50% puros (machos e fêmeas)


- puro x pura:
100% filhotes puros (machos e fêmeas)



- portador x portadora:

25% puros machos e fêmeas
50% portadores machos e fêmeas
25% normais machos e fêmeas


- normal x pura
- pura x normal

100% machos e fêmeas portadores


                                              - portador x normal
normal x portadora

50% machos e fêmeas portadores
50% machos e fêmeas normais


2 - Brancos dominantes:


- b. dominante x normal
- normal x b.dominante

50% brancos domin. (machos e fêmeas)
50% normais (machos e fêmeas)


- b. dominante x branco
- branco x b. dominante

50% b. dominantes machos e fêmeas portadores branco
50% amarelos portadores de branco


- b. dominante x b. dominante filhotes

75% br. Dominantes machos e fêmeas
25% amarelos machos e fêmeas

3 - Albinos e albinos dominantes:

- albino x albino:

100% filhotes albinos (machos e fêmeas)


- albino x branca:

50% machos brancos port/ albino
50% fêmeas albinas


- albino x normal (amarelo):

50% machos amarelos port/ brancos e albino
50% fêmeas lutinas portadoras / branco


- albino x br. Dominante normal:

25% machos br. Dom. portadores/ branco e albino
25% machos amarelos portadores/ branco e albino
25% fêmeas albinas dominantes portadoras/branco
25% fêmeas lutinas portadoras/branco


- albino x br. Dom. port/br:

25% machos brancos port/albino
12,5% machos br. Dom. port/ br e albino
12,5% machos amarelos port/br e albino
12,5% fêmeas albinas
12,5% fêmeas albinas dominante port/branco
25% fêmeas lutinas port/branco

- br. Port/alb x albina:

25% machos brancos port/alb.
25% machos albinos
25% fêmeas brancas
25% fêmeas albinas


- branco normal x albina:

50% machos e brancos port/alb
50% fêmeas brancas normais


- branco port/alb x branco normal:

25% machos brancos normais
25% machos brancos port/alb
25% fêmeas albinas
25% fêmeas brancas normais




- lutino port/br x albina:

25% machos albinos
25% machos lutinos port/branco
25% fêmeas albinas e lutinas port/br
25% fêmeas brancas normais e amarelas port/br.- lutino normal x albina:
50% machos lutinos port/br e alb
50% fêmeas lutinas port/br


- amarelos port/alb x albinas:

 12,5% machos albinos
12,5% machos lutinos port/br e alb
12,5% machos brancos port/alb.
12,5% machos amarelos port/alb e lut.
12,5% fêmeas albinas
12,5% fêmeas lutinas port/br e alb.
12,5% fêmeas brancas normais
12,5% fêmeas amarelas port/br

- amarelo normal x albina:

50% machos amarelos port/ br.albino e lut.
50% fêmeas amarelas port/br


- alb. Dom. x alb. Domin.:

75% alb. Dom. machos e fêmeas
25% lutinos machos e fêmeas

- alb. Domin. X albina:

25% machos alb. Dom. port/br
25% machos lutinos port/br
25% fêmeas alb.Dom. port/ br
25% fêmeas lutinas port/br


- Alb. Dom port/br x albina:

16,66% machos albinos
16,66% machos albinos Dom. port/br
16,66% machos lutinos port/br
16,66% fêmeas albinas
16,66% fêmeas alb.Dom. port/br
16,66% fêmeas lutinas port/br


- br. Dom.port/br x albina:

8,33% machos albinos
8,33% machos alb.Dom. port/br
8,33% machos lutinos port/br
8,33% machos brancos port/alb e lut.
8,33% machos amarelos port/alb e lut
8,33% machos br. Dom. port/ alb. Alb. Dom e lut.
8,33% fêmeas albinas
8,33% fêmeas alb.Dom. port/br.
8,33% fêmeas lutinas port/br
8,33% fêmeas brancas normais
8,33% fêmeas br. Dom.port/br
8,33% fêmeas amarelas port/br.


- br. Dom.normal x albina :

25% machos br.Dom. port/ alb, alb. Dom. e lut.
25% machos amarelos port/br, alb e lut.
25% fêmeas amarelas port/br
25% fêmeas br. Dom. port/br


- br. Dom.port/alb.dom x 18,75% machos alb. Dom

18,75% machos br. Dom. port/ alb. Dom.
12,5% machos amarelos port/lut.
18,75% fêmeas alb.Dom.
18,75% fêmeas br. Dom. normais
12,5% fêmeas lutinas


- br. Dom port/alb.dom x br. Dom.

18,75% machos br. Dom. normais
18,75% machos br. Dom. port/ alb. Dom.
6,25% machos amarelos normais
6,25% machos amarelos port/ lut.
18,75% fêmeas alb. Dom.
6,25% fêmeas lutinas
18,75% fêmeas br. Dom. normais
6,25% fêmeas amarelas normais




- lutino x alb. Dom:
- alb. Dom. x lutina:

25% machos alb. Dom.
25% machos lutinos
25% fêmeas alb. Dom.
25% fêmeas lutinas

- alb. Dom. x amarela normal:
25% machos br. Dom. port/ alb. Dom. lut.


25% machos amarelos port/lutino
25% fêmeas alb. Dom.
25% fêmeas lutinas


- amarelo port/lut x alb. Dom.

12,5% machos alb. Dom.
12,5% machos br. Dom. port/ alb. Dom. lut.
12,5% machos lutinos
12,5% machos amarelos port/lut.
12,5% fêmeas alb. Dom.
12,5% fêmeas br. Dom. normais
12,5% fêmeas lutinas
12,5% fêmeas amarelas normais


- amarelo port/lut x br. Dom.

12,5% machos br. Dom. normais
12,5% machos br.Dom. port/ alb. Dom. lut.
12,5% machos amarelos normais
12,5% machos amarelos port/lut
12,5% fêmeas alb. Dom.
12,5% fêmeas lutinas
12,5% fêmeas br. Dom.
12,5% fêmeas amarelas normais


Roberto Kobayashi

Juiz OBJO/FOB
Juiz COM/OMJ-HS


Reggio Emilia - Pintassilgos